Pasar al contenido principal
Disponible enPortuguês

Nova fase do Energy Big Push implementada

18 de Enero de 2024|Nota informativa

Energy Big Push 2.0 apresenta dados inéditos sobre inovação em energia, desenvolve protótipo de plataforma digital para promover interação universidade-empresa em inovação no setor energético e realiza uma série de eventos e discussões sobre inovação e transição energética no Brasil.

De 2021 a 2023, foi realizado o Energy Big Push 2.0 (EBP 2.0) com o objetivo de impulsionar a inovação para a transição energética sustentável no Brasil.

O EBP 2.0 deu continuidade, atualizou e expandiu os trabalhos iniciados em 2019, quando o governo federal do Brasil, por meio da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), do Ministério de Minas e Energia (MME), do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério de Relações Exteriores (MRE), deu partida à iniciativa Energy Big Push (EBP). Uma das motivações consistiu em subsidiar a participação do Brasil na Mission Innovation, iniciativa internacional voltada para acelerar inovação em energias limpas. Em parceria com a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), o EBP mapeou e analisou investimentos brasileiros em inovação em energia. Um dos principais resultados das primeiras fases do EBP foi o desenvolvimento da Plataforma Inova-e, que tornou acessíveis aos mais diversos públicos dados e informações, de forma sistematizada e abrangente, sobre investimentos em Pesquisa, Desenvolvimento e Demonstração (PD&D) em energia no país.

Na fase 2.0, o EBP atualizou e expandiu a plataforma inova-e, criou um protótipo de plataforma digital para promover interação universidade-empresa em inovação no setor energético e, por fim, promoveu atividades de articulação e engajamento de atores e comunicação.

O Energy Big Push 2.0 foi realizado com o apoio Programa EUROCLIMA+ da União Europeia, executado pelo CGEE em parceria com a EPE e implementado pela CEPAL e pela Cooperação Técnica Alemã (GIZ, Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit), com o apoio do MME e do MCTI.

Ao longo do EBP 2.0, foram atualizados os dados de investimentos em PD&D em energia até o ano de 2022 e foram fornecidas informações desagregadas para projetos de P&D e projetos demonstrativos. De forma central, a partir de um processo de consulta a diversos atores com efetiva atuação no campo da energia e da inovação no Brasil, foram mapeados e priorizados, com base em uma metodologia multicritério, os novos indicadores de inovação em energia para compor a plataforma inova-e. Tendo identificado as patentes como indicador de maior interesse e prioridade, o EBP 2.0 atuou no desenvolvimento de um novo módulo dedicado às patentes verdes no setor energético no país. Como resultado do EBP 2.0, foi disponibilizado na plataforma inova-e um novo módulo de indicadores inéditos de patentes verdes em energia. Por exemplo, os dados lançados apontam que, em 2020, foram depositadas 2.028 patentes verdes em energia no Brasil, sendo a maior parte composta por patentes em energias renováveis (38,5%) e eficiência energética (30,6%).

O EBP 2.0 também desenvolveu um protótipo de ambiente digital para proporcionar conexões universidade-empresa, visando acelerar a inovação em soluções energéticas sustentáveis no Brasil. Identificado nas primeiras fases do EBP como uma lacuna importante a ser superada para impulsionar inovação em energias sustentáveis no país, o fortalecimento da interação universidade-empresa foi foco da construção do protótipo, denominado plataforma conecta-e. Foram realizadas consultas a potenciais usuários da plataforma, por meio de cinco oficinas, a partir das quais discutiram-se necessidades dos usuários, funcionalidades do protótipo e engajamento e governança. O protótipo encontra-se em fase de desenvolvimento e espera-se que até 2025 esteja operacional, tornando-se uma plataforma aberta que promova a ampliação dos investimentos e acelere a inovação no setor de energias limpas do Brasil.

O EBP 2.0 também se dedicou à articulação, comunicação e integração dos atores. Estruturado com base em mecanismos de governança baseados em um Conselho Consultivo e um Comitê Executivo, o EBP 2.0 foi gerido de forma colegiada e multiator. Na fase 2.0, o EBP realizou seis eventos, sendo quatro nacionais e dois internacionais.

No grupo dos eventos nacionais, no webinar “Inovação em energia no Brasil. Como medir?” realizado em 29 de agosto de 2022, foram divulgados os resultados da primeira oficina de trabalho do eixo 1 e discutida a seleção de indicadores de inovação em energia. Em 3 de novembro de 2022, o webinar “Conexão Universidade-Empresa em Energia. Como impulsionar?” apresentou as oportunidades e os desafios ao desenvolvimento de uma plataforma digital dedicada à promoção de conexões entre provedores e demandantes de soluções energéticas sustentáveis que atue como um intermediador dentro da dinâmica de inovação em energia. Já no webinar “Como impulsionar a inovação para acelerar uma transição energética inclusiva e sustentável?”, realizado em 10 de março de 2023, houve a apresentação dos principais resultados e insumos alcançados pelo projeto EBP, e plataforma inova-e. Além, Foi anunciado o desenvolvimento de um novo módulo de indicadores de patentes na inova-e e discutiu-se a importância do desenvolvimento de um Protótipo digital para conexão entre provedores e demandantes de Soluções Energéticas Sustentáveis. Por fim, durante o 4º webinar “Patentes Verdes e a Transição Energética no Brasil: Dados e informações estratégicas sobre patentes no contexto da transição energética no Brasil”, realizado em 6 de outubro de 2023, foi lançado o módulo de patentes verdes da inova-e seguido de análises feitas por especialistas sobre os resultados alcançados.

Em relação aos eventos internacionais, em 5 de setembro de 2022I, o webinar Aprimorando o levantamento de dados públicos de pesquisa, desenvolvimento e demonstração (PD&D) em energia: a experiência de países latino-americanos teve por objetivo ampliar e facilitar a disseminação de conhecimento e promover uma oportunidade de intercâmbio entre pares relacionado a esforços e metodologias para rastrear investimentos em inovação em energia limpa em países selecionados da América Latina (Brasil e Chile). Ademais, promoveu a interação com os outros membros da Mission Innovation e países interessados, por meio da troca de experiências sobre o status e os processos de mapeamento da inovação em energia limpa. O segundo evento internacional, o webinar Diálogos em financiamento da Inovação Verde, realizado em 28 de novembro de 2023, buscou fomentar a troca de conhecimento, experiências e ideias entre especialistas de instituições nacionais e estrangeiras na temática de financiamento da inovação verde. O evento proporcionou um espaço de discussão sobre oportunidades de acesso e sugestões sobre os processos e requisitos necessários para acessar oportunidades de financiamento para a inovação verde. Esse evento foi correalizado no âmbito de dois projetos apoiados pelo Programa Euroclima+ da União Europeia: EBP 2.0 e Construindo uma estratégia nacional e regional para o desenvolvimento e adoção de tecnologias sustentáveis (Patentes Verdes), em parceria com Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) do Brasil, em conjunto com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC).

Acesse a plataforma inova-e e conheça o novo módulo de indicadores de patentes verdes de energia no Brasil: https://dashboard.epe.gov.br/apps/inova-e-eng/index.htm