Você está aqui

Disponível em:EnglishEspañolPortuguês

Países da região reafirmam a urgência de medir as lacunas de gênero e de contabilizar a perda de capital natural e de bem-estar para uma recuperação sustentável e igualitária

Durante a inauguração da 11ª Reunião da Conferência Estatística das Américas da CEPAL, as autoridades destacaram a relevância de consolidar a institucionalidade estatística na América Latina e no Caribe.

23 de novembro de 2021|Comunicado de imprensa

foto_oficial_hibrida_xi_cea.jpeg

Fotografia oficial da 11ª reunião da Conferência de Estatística das Américas.
Fotografia oficial da 11ª reunião da Conferência de Estatística das Américas.
Foto: CEPAL.

Autoridades e representantes dos Institutos de Estatística dos  países da América Latina e do Caribe reafirmaram hoje a urgência de medir as lacunas de gênero e de contabilizar a perda de capital natural e de bem-estar, e destacaram a relevância de consolidar a institucionalidade estatística para uma recuperação pós-pandemia da COVID-19 que coloca a igualdade e a sustentabilidade no centro, durante a inauguração da 11ª Reunião da Conferência Estatística das Américas (CEA) da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

No Encontro Intergovernamental, que se estenderá até quinta-feira, 25 de novembro, participam 34 Estados-membros da CEPAL e 7 membros associados. A Conferência foi inaugurada por Alicia Bárcena, Secretária-Executiva da CEPAL; Juan Daniel Oviedo, Diretor-Geral do Departamento Administrativo Nacional de Estatística (DANE) da Colômbia, na qualidade de Presidente da CEA, e Stefan Schweinfest, Diretor da Divisão de Estatística das Nações Unidas.

“As dificuldades que a pandemia nos tem imposto não têm sido um impedimento para que o trabalho colaborativo regional produzisse importantes frutos nesses dois anos. De fato, graças ao compromisso e dedicação dos países, o biênio 2020-2021 se encerra com um total de 10 documentos finalizados, que reúnem recomendações e recompilações de boas práticas para fortalecer a produção de estatísticas nas várias áreas temáticas, e que colocamos à disposição de toda a comunidade estatística regional”, afirmou Alicia Bárcena durante seu discurso de inauguração.

A Secretária-Executiva da CEPAL destacou que a transversalização da perspectiva de gênero é um elemento central do programa de trabalho da Conferência Estatística das Américas e advertiu que “as lacunas entre homens e mulheres não devem ser apenas mais um tema. Devemos romper o silêncio estatístico em termos de igualdade de gênero”, afirmou.

Alicia Bárcena acrescentou que um grande desafio é como incorporar as novas fontes de dados às estatísticas oficiais.

“As informações provenientes de satélites, redes sociais, o uso de telefones celulares e o uso de algoritmos de aprendizagem de máquinas e inteligência artificial são amplamente utilizados pelas empresas privadas e por pesquisadores, mas não tem sido fácil integrar esses dados nos processos de produção de estatísticas oficiais. A colaboração entre os países é essencial nesse âmbito”, considerou.

Destacou, também, a urgência de avançar na geração das contas dos ecossistemas e destacou que a região se encontra em um momento decisivo para alcançar resultados consideráveis ​​e sustentáveis ​​com a adoção da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

“As contas dos ecossistemas nos darão a oportunidade de dispor de uma análise integrada do estado e da qualidade do capital natural para os países da região, potencializando a medição dos impactos das políticas de desenvolvimento e das estratégias de crescimento verde”, sublinhou.

A alta funcionária das Nações Unidas afirmou que a CEPAL está desenvolvendo ações para a construção de capacidades, com as quais espera apoiar os países da região na elaboração de contas de extensão, contas de condição e contas de serviços ecossistêmicos que promovam um crescimento harmônico da região.

Além disso, destacou o lançamento da nova versão do portal de dados CEPALSTAT, plataforma de estatísticas regionais comparáveis ​​para a América Latina e o Caribe que incorpora tendências e padrões internacionais de divulgação de estatísticas on-line, formatos de dados abertos e a completa integração da informação geoespacial para o banco de dados estatísticos, mediante soluções de visualização dinâmica e de fácil navegação.

“Porque o que não se mede não conta, sigamos trabalhando juntos para o desenvolvimento estatístico em nossa América Latina e Caribe”, concluiu Alicia Bárcena.

Juan Daniel Oviedo, Diretor do DANE da Colômbia, por sua vez, agradeceu especialmente a Alicia Bárcena por ressaltar a importância das estatísticas oficiais no contexto da pandemia da COVID-19.

Acrescentou que a pandemia tem gerado oportunidades para os Institutos de Estatística, sobretudo para responder às novas necessidades dos usuários, como indicadores de bem-estar real e subjetivo, bem como medir e definir novos elementos para os planos de reconstrução.

Finalmente, Stefan Schweinfest, Diretor da Divisão de Estatística das Nações Unidas, destacou o trabalho realizado pela Conferência Estatística das Américas da CEPAL.

“Nos últimos 20 anos, foi construída uma forte comunidade profissional. Desenvolveram-se muitas ferramentas e recomendações que acredito terem fortalecido os Organismos de Estatística da América Latina e do Caribe”, afirmou.

Durante a 11ª Reunião da Conferência Estatística das Américas da CEPAL, as autoridades analisarão os avanços e desafios para a consolidação da institucionalidade estatística e das perspectivas regionais sobre o uso de novas metodologias e fontes de dados.

Os Estados-membros também examinarão os resultados do Programa Bienal de Atividades de Cooperação Regional e Internacional 2020-2021 da Conferência de Estatística das Américas, aprovarão a criação de Grupos de Trabalho para o período 2022-2023 e elegerão o novo Comitê Executivo da Conferência para este período.

A Conferência contempla a realização de cinco eventos paralelos que abordarão temas como os desafios na medição do investimento estrangeiro direto na região, censos populacionais e habitacionais em contextos de pandemia, a XIX Reunião Internacional de Especialistas em Informação sobre Uso do Tempo e Trabalho Não Remunerado, as atividades no Caribe relacionadas com a medição de indicadores de meio ambiente, mudança climática e catástrofes para a tomada de decisões políticas, e as perspectivas da América Latina e do Caribe sobre governança de dados.