Você está aqui

Disponível em:EnglishEspañolPortuguês

A CEPAL apresenta uma nova interface do portal CEPALSTAT que vincula estatísticas regionais e informação geoespacial da América Latina e do Caribe

Alicia Bárcena, Secretária-Executiva da Comissão Regional da ONU, liderou o lançamento do novo portal e destacou a importância da interoperabilidade da informação por meio de dados abertos.

15 de outubro de 2021|Comunicado de imprensa

foto_grupal.jpeg

Fotografía grupal del evento.
Fotografía grupal del evento.

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) apresentou hoje a nova interface da plataforma CEPALSTAT, principal porta de acesso às informações estatísticas dos países da região reunidas, sistematizadas e publicadas pela CEPAL, que permitirá melhorar a acessibilidade às estatísticas regionalmente comparáveis da América Latina e do Caribe.

“Hoje enfrentamos fenômenos complexos que cruzam as fronteiras e se tornam em dimensões que devemos analisar de forma integrada. Para isso, e dado que aquilo que não se mede não conta, é imprescindível fortalecer a geração e a integração da informação, impulsionar a convergência das comunidades estatísticas e geoespaciais para contar com mais e melhores medições que dêem conta da distribuição territorial das dimensões do desenvolvimento e das crises combinadas da pandemia, da mudança climática, da incerteza econômica e da crescente desigualdade”, afirmou Alicia Bárcena, Secretária-Executiva da CEPAL, durante o lançamento do novo portal.

A apresentação da plataforma contou com a presença de Rosemary Kalapurakal, Diretora-Adjunta do Escritório de Coordenação de Desenvolvimento das Nações Unidas; Stefan Schweinfest, Diretor da Divisão de Estatísticas das Nações Unidas; Emanuele Baldacci, Diretor de Recursos e Inovação do Eurostat; Paloma Merodio, Copresidente do Grupo de Trabalho sobre Informação Geoespacial e Presidente do UN-GGIM: Américas e Juan Daniel Oviedo, Diretor-Geral do Departamento Administrativo Nacional de Estatística (DANE) da Colômbia, na qualidade de Presidente da Conferência Estatística das Américas. O Encontro foi moderado por Rolando Ocampo, Diretor da Divisão de Estatística da CEPAL.

Durante a sua apresentação, Alicia Bárcena sublinhou que a crise provocada pela pandemia da COVID-19 destacou a importância da gerar estatísticas oficiais oportunas e confiáveis ​​para o monitoramento da doença causada pelo novo coronavírus, a identificação de grupos em situação de vulnerabilidade e também para medir o impacto das políticas de confinamento e distanciamento social sobre as condições de vida das pessoas, sendo fundamental, o georreferenciamento e a  desagregação dos dados para orientar e focalizar as ações mais urgentes e olhando  para o futuro.

“O abalo da pandemia torna hoje mais necessário do que nunca, redobrar os esforços para fornecer evidências sobre a situação e a evolução econômica, social e ambiental de nossa região”, afirmou.

A alta funcionária das Nações Unidas destacou que, desde 2006, a CEPAL vem trabalhando para melhorar a difusão on-line das estatísticas sociodemográficas, econômicas e ambientais disponíveis para a região.

"Esse tem sido um processo contínuo de atualização e implementação de soluções inovadoras para a disseminação de dados em resposta às mudanças no ambiente de dados que desafiam a produção e a difusão de estatísticas oportunas."

Bárcena acrescentou que “com esse passo, a CEPAL está na vanguarda da interoperabilidade e dos dados abertos, por meio de plataformas como o SDG Gateway, o Observatório Covid-19, e agora o CEPALSTAT, que articula dados estruturados com desestruturados, por meio de sua vinculação com o repositório digital de documentos, a memória institucional do pensamento de nossa Organização”.

A nova interface de CEPALSTAT representa a renovação e a inovação da plataforma existente a partir da integração de informação estatística sociodemográfica, econômica e ambiental regional, comparável, mais integral e completa da América Latina e do Caribe, com informação geoespacial.

Além da relevância dos conteúdos que essa plataforma oferece aos usuarios e usuárias, o novo portal mudou completamente o seu design de forma a proporcionar ao usuário uma melhor experiência na busca de estatísticas disponíveis para a região, mediante um melhor design, navegação mais amigável, e mais e melhores funcionalidades.

O acesso aos bancos de dados tem sido facilitado por meio de dashboards interativos que permitem uma primeira abordagem com a informação estatística disponível e com os seus metadados, permitindo realizar consultas personalizadas e downloads em formatos de dados abertos.

A incorporação de seu novo Geoportal totalmente vinculado às bases de dados estatísticos, permite construir camadas de informação refletidas no território e ajustadas às necesidades próprias do usuário. Os usuários poderão também integrar várias camadas de informações geográficas, tanto da CEPAL como externas, que contextualizam as estatísticas e contribuem para uma análise geoespacial mais ampla e compreensiva.

Por outro lado, foram incorporados mais perfis estatísticos regionais e nacionais, temáticos e analíticos, que permitem ao uuário obter uma visão estatística sintética de temas-chave para o desenvolvimento da região.

“A renovação de CEPALSTAT dá continuidade à linha de inovação e atualização que pede a reforma de desenvolvimento das Nações Unidas e para isso desenvolvemos o Hub do conhecimento da região a partir do SDG Gateway, que se tornou uma plataforma interagencial sobre a Agenda 2030 que integra informação global, regional e nacional e se conecta com as atividades de todas as Agências, Fundos e Programas do Sistema ONU”, destacou Alicia Bárcena.

“Esperamos que a renovação de CEPALSTAT favorecerá o acesso à informação estatística da CEPAL para todos os nossos leitores e consumidores de dados, permitindo-lhes manter-se atualizados com as principais estatísticas regionais”, concluiu.

Por sua vez, Rosemary Kalapurakal, Diretora-Adjunta do Escritório de Coordenação para o Desenvolvimento das Nações Unidas, ressaltou que CEPALSTAT "é uma plataforma fantástica para agregar, apresentar e visualizar dados" e destacou a importância das estatísticas oportunas, de qualidade e desagregadas para ajudar os países para uma recuperação sustentável da pandemia.

Stefan Schweinfest, Diretor da Divisão de Estatísticas das Nações Unidas, afirmou que estamos vivendo um momento de dados, mas, necessitamos uma cultura de dados. “CEPALSTAT não pode ser apenas um modelo para outras regiões, pode inclusive ser um modelo para nós, em âmbito global”, afirmou.

Emanuele Baldacci, Diretor de Recursos e Inovação do Eurostat, destacou que CEPALSTAT se concentra em identificar as características-chave para maximizar o acesso aos dados, sua usabilidade ao colocar os usuários no volante de condução, promovendo o uso de dados por meio de mecanismos interoperáveis.

Paloma Merodio, Copresidente do Grupo de Trabalho sobre Informação Geoespacial e Presidente do UN-GGIM: Américas, destacou que CEPALSTAT não é apenas um portal, é uma ferramenta muito importante para a sistematização de toda a informação produzida pelos organismos oficiais dos países e pelas agências internacionais.

Finalmente, Juan Daniel Oviedo, Presidente da Conferência de Estatística das Américas, garantiu que CEPALSTAT é um caso de êxito para a comunidade estatística da América Latina e do Caribe e uma demonstração do papel que a governança de dados desempenha na hora de definir regras e procedimentos para a reunião, interoperabilidade e disposição da informação.