Pular para o conteúdo principal
Available in EspañolPortuguês

Espaços iberoamericanos: O investimento estrangeiro, Oportunidades para impulsionar uma relaçao renovada

Publication cover

Espaços iberoamericanos: O investimento estrangeiro, Oportunidades para impulsionar uma relaçao renovada

Autor institucional: NU. CEPAL-Secretaría General Iberoamericana Descripción física: 92 páginas. Editorial: SEGIB Data: novembro 2012 Signatura: LC/G.2548

Descrição

Este documento é uma contribuição da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e da Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB) ao processo de preparação da XXII Cúpula Ibero-Americana de Chefes de Estado e de Governo (Cádiz, Espanha, 16 e 17 de novembro de 2012). O objetivo principal deste documento é proporcionar aos governos uma perspectiva ampla e bem informada de algumas dimensões relevantes do desenvolvimento dos países que integram o espaço ibero-americano. O investimento é uma variável-chave para gerar um processo de desenvolvimento orientado à mudança estrutural e reduzir a desigualdade. Em particular, o investimento estrangeiro direto (IED) é um instrumento determinante no desenvolvimento de muitas indústrias, dado que contribui ao dinamismo exportador, à criação de empregos de qualidade e à transferência de conhecimento. O IED apresenta uma capacidade potencial para acompanhar a injeção de capital, com transferências de conhecimento, acesso a mercados ou integração em cadeias globais de valor. Da mesma maneira, o IED pode ser um instrumento decisivo para a instalação de novos setores e indústrias na economia receptora. Foi o que ocorreu, na Ibero-América, em alguns setores manufatureiros orientados à exportação e, mais recentemente, à geração elétrica com fontes renováveis. Contudo, estas contribuições não são automáticas nem iguais para todo tipo de IED. Portanto, é necessário que os governos acompanhem as medidas para assegurar um fluxo crescente de capitais do exterior, com políticas que ajudem a orientar os investimentos estrangeiros para o desenvolvimento de setores mais intensivos em conhecimento, redes de empresas com alto impacto no âmbito local, mercados de trabalho qualificado e, em geral, experiências que permitam fortalecer as capacidades empresariais locais e fomentem a participação de pequenas e médias empresas.