Você está aqui

Disponível em:EnglishEspañolPortuguês

A CEPAL realizou a Semana da Inclusão das Pessoas com Deficiência

Aproximadamente 12% da população da América Latina e do Caribe tem alguma deficiência, o que representa cerca de 70 milhões de pessoas.

10 de dezembro de 2018|Notícia

conciertoorquestasonidodeluz_dispacidad.jpg

La Fundación Luz deleitó al personal de la CEPAL con el repertorio de su Orquesta Sonidos de Luz, que se presentó el viernes 7 de diciembre en los patios del edificio.
La Fundación Luz deleitó al personal de la CEPAL con el repertorio de su Orquesta Sonidos de Luz, que se presentó el viernes 7 de diciembre en los patios del edificio.
Foto: CEPAL.

Como uma forma de sensibilizar e conscientizar o pessoal sobre as contribuições das pessoas com deficiência às sociedades e sobre os desafios que enfrentam diariamente para fazer essa contribuição, de 3 a 7 de dezembro de 2018 foi realizada a “Semana da inclusão” na sede central da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) em Santiago, Chile.

A semana de atividades teve início no dia 3 de dezembro, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, com a exibição do documentário chileno “Último ano”, dos cineastas Viviana Corvalán Armijo e Francisco Espinoza, o qual aborda os desafios educativos da comunidade surda no país.

“As pessoas com deficiência compõem uma população muito heterogênea, que vive realidades e experiências diferentes. Contudo, lamentavelmente compartilham um denominador comum: diariamente têm seus direitos violados”, explicou Laís Abramo, Diretora da Divisão de Desenvolvimento Social da CEPAL, no ato de abertura da semana.

Estima-se que aproximadamente 12% da população da América Latina e do Caribe tem alguma deficiência, porcentagem que equivale a aproximadamente 70 milhões de pessoas, indicou Abramo, que destacou alguns avanços, como a ampla ratificação da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

“A aplicação de um conceito tradicional e biomédico da deficiência, que vê a deficiência sob um enfoque caritativo e assistencialista, distante do enfoque de direitos, é uma das barreiras mais importantes que as pessoas com deficiência enfrentam para sua plena inclusão”, afirmou a funcionária da CEPAL.

A semana incluiu diversas atividades, como uma feira inclusiva com venda de produtos artesanais, coleta de livros e jogos e arrecadação de fundos. Participaram a Fundação Luz (que trabalha com população cega e de baixa visão), a Fundação Incluir (que se dedica à inclusão no mercado de trabalho de pessoas com capacidades intelectuais diferentes), a Fundação Crescendo (que atende adultos com deficiência intelectual leve e moderada), a organização Autismo Ñuñoa e a Fundação CIDEVI (que dirige uma escola e um centro de reabilitação para pessoas com deficiência visual e surdocegas).

A Fundação Luz também ofereceu serviços de massoterapia e deleitou o pessoal da CEPAL com o repertório de sua orquestra “Sonidos de Luz”, que se apresentou no pátio do edifício.

A Biblioteca Hernán Santa Cruz da CEPAL convocou os funcionários da Comissão em Santiago a viver uma experiência multissensorial através de diversos exercícios que buscavam sensibilizar a respeito dos desafios cotidianos que as pessoas com deficiência enfrentam.

“A educação é um campo fundamental para fomentar a inclusão das pessoas com deficiência. Muitos direitos individuais, especialmente aqueles associados ao trabalho decente e ao acesso à seguridade social, estão fora do alcance das pessoas privadas de uma educação de qualidade. Nossas sociedades somente avançarão no caminho do desenvolvimento sustentável quando houver uma verdadeira inclusão de todas as pessoas”, resumiu Laís Abramo.