Você está aqui

Disponível em:EnglishEspañolPortuguês

Autoridades reconhecem o papel das estatísticas oficiais na elaboração de políticas públicas para mitigar os efeitos da COVID-19 e para a reativação pós- pandemia

Representantes dos países da região participaram da XIX Reunião do Comitê Executivo da Conferência Estatística das Américas da CEPAL em 25-27 de agosto.

27 de agosto de 2020|Notícia

Autoridades dos escritórios nacionais de estatística da América Latina e do Caribe reconheceram o papel das estatísticas oficiais na elaboração de políticas públicas para mitigar os efeitos da emergência sanitária provocada pelo coronavírus (COVID-19) e na reativação econômica pós-pandemia, na jornada de encerramento da XIX Reunião do Comitê Executivo da Conferência Estatística das Américas (CEA) da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Participaram do encontro 39 delegações dos Estados membros da CEPAL e de 11 membros associados.

Durante a reunião, os países felicitaram os escritórios nacionais de estatística e outros organismos produtores de estatísticas oficiais pelas diversas ações realizadas para dar continuidade à produção estatística durante a pandemia e os incentivaram a identificar as inovações e boas práticas implementadas durante este período que podem ser adotadas de maneira permanente para fortalecer a eficiência dos dispositivos estatísticos e a qualidade das estatísticas oficiais.

Além disso, destacaram a importância de continuar avançando no trabalho de desagregação dos dados por renda, sexo, idade, raça, origem étnica, situação migratória, deficiência e situação geográfica e outras características, em conformidade com os Princípios Fundamentais das Estatísticas Oficiais, para não deixar ninguém para trás.

Na cerimônia de encerramento, Juan Daniel Oviedo, Diretor-Geral do Departamento Administrativo Nacional de Estatística (DANE) da Colômbia, na qualidade de Presidente da CEA-CEPAL, sublinhou o trabalho recente dos escritórios de estatística para fornecer informações nestes momentos de incerteza e de dificuldade.

“Temos que exercer e avaliar como vamos desenvolver nossa capacidade institucional de ser administradores de dados, de poder garantir esquemas de governança de dados que facilitem o intercâmbio de informações, mas sobretudo que permitam que a informação que produzimos chegue às camadas subnacionais, chegue aos cidadãos”, afirmou.

Rolando Ocampo, Diretor da Divisão de Estatísticas da CEPAL, agradeceu aos países participantes e qualificou a reunião como “muito enriquecedora”. Destacou também a gestão da Presidência no êxito do XIX Comitê Executivo da CEA.

“Os acordos aprovados refletem muito o sentido e a importância da atividade realizada no âmbito estatístico nos últimos meses”, afirmou.

Na resolução final, aprovada por unanimidade pelos países presentes na reunião, os participantes indicaram como o impacto da pandemia de COVID-19 levou ao adiamento, entre outras atividades, dos censos demográficos da rodada de 2020 em vários países da América Latina e, especialmente, do Caribe, e sobre as crescentes incertezas relativas ao desenvolvimento dos projetos censitários.

Nesse sentido, destacaram a importância de que os países-membros da CEA, mediante a gestão de cada governo, assegurem os recursos financeiros e humanos necessários para garantir a adequada realização dos censos, que constituem uma fonte de informação essencial para as políticas públicas, bem como um insumo indispensável para a adequada implementação de um grande número de operações estatísticas.

Em sua resolução, o Comitê Executivo da Conferência Estatística das Américas exortou também os Estados membros da CEPAL a elaborar as métricas que permitam estimar o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e recomendou que sejam consideradas nos planos nacionais de desenvolvimento.

Ao mesmo tempo, os países valorizam a criação da Plataforma Regional do Conhecimento sobre a Agenda 2030 na América Latina e no Caribe (SDG Gateway) implementada pela CEPAL em conjunto com os organismos, fundos e programas do sistema das Nações Unidas da região, que tem por objetivo servir de ponto de encontro e referência para todas as informações relacionadas com os ODS, inclusive atividades, recursos de informação, estatísticas, dados regionais, instrumentos analíticos específicos e produtos de conhecimento desenvolvidos e colocados à disposição pelas Nações Unidas em resposta às necessidades dos países-membros.

Finalmente, as autoridades da região expressaram seu compromisso de abordar os debates sobre a produção de estatísticas urbanas e sobre o vínculo entre a produção estatística e os desafios do desenvolvimento em transição como parte das próximas atividades da CEA.

A Conferência Estatística das Américas é um órgão subsidiário da CEPAL cujos mandatos principais são a promoção do desenvolvimento e melhoramento das estatísticas nacionais e sua comparabilidade internacional, bem como da cooperação internacional, regional e bilateral entre os escritórios nacionais e os organismos internacionais e regionais.

Atualmente, o Comitê Executivo da CEA é presidido pela Colômbia e composto por Canadá, Chile, Granada, Itália, Jamaica e México.