Você está aqui

Disponível em:EnglishEspañolPortuguês

Começou a XII Conferência Regional sobre a Mulher da América Latina e do Caribe

O Presidente da República Dominicana, Danilo Medina, dirigiu a cerimônia de inauguração do evento, que termina na sexta-feira.

16 de outubro de 2013|Comunicado de imprensa

51249-FOTO400.jpg

La XII Conferencia Regional sobre la Mujer de América Latina y el Caribe finaliza el viernes en la capital dominicana.
La XII Conferencia Regional sobre la Mujer de América Latina y el Caribe finaliza el viernes en la capital dominicana.
Foto: Raúl H. Calvo/ Cortesía del Ministerio de la Mujer de República Dominicana.

(15 de outubro de 2013) Com a presença do Presidente da República Dominicana, Danilo Medina, foi inaugurada hoje, em Santo Domingo a XII Conferência Regional sobre a Mulher da América Latina e do Caribe, convocada pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) para avançar na agenda da igualdade de gênero na região.

"Celebro que nosso país seja o anfitrião desse encontro que nos mostrará novos caminhos para garantir a igualdade de direitos e oportunidades das mulheres em nossas sociedades", disse o Presidente Medina, que reafirmou a posição de seu governo de "tolerância zero" frente à violência contra a mulher e à violação de seus direitos fundamentais.

As mulheres dominicanas, afirmou, "enfrentam múltiplos desafios interconectados e em sua base encontra-se a mesma questão: a falta de independência econômica, que agrava-se com a falta de independência física e política".

Na sessão de abertura houve também intervenções de Alicia Bárcena, Secretária-Executiva da CEPAL, Phumzile Mlambo-Ngcuka, Diretora-Executiva da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres), Carissa Etienne, Diretora da Organização Pan-Americana da Saúde, Eleonora Menicucci, Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Brasil, e Alejandrina Germán, Ministra da Mulher da República Dominicana.

"A Conferência Regional sobre a Mulher tem se constituído no fórum político mais importante sobre a igualdade da mulher da América Latina e do Caribe", destacou a Secretária-Executiva da CEPAL, que agradeceu  à República Dominicana o esforço dispensado para realizar com êxito esse evento que reúne autoridades governamentais, funcionários internacionais, especialistas e representantes da sociedade civil.

No marco desse espaço de debate intergovernamental, disse Bárcena, "têm sido geradas, compartilhadas e fortalecidas propostas de políticas públicas que hoje estão sendo desenvolvidas em muitos países para enfrentar o triplo desafio de alcançar a autonomia das mulheres nas dimensões econômica, política e física".

"A igualdade das mulheres é o outro nome da dignidade e da democracia.  Não se trata de incluir as mulheres em um modelo que as subordine, é necessário mudar os paradigmas de poder", propôs.

O tema principal da XII Conferência Regional sobre a Mulher inaugurada hoje na capital da República Dominicana, e que termina na sexta-feira, 18, é a igualdade de gênero, o empoderamento das mulheres e as tecnologias de informação e comunicações (TICs).

"Só será possível a autonomia econômica das mulheres na medida em que se assegure a redistribuição do trabalho total, o remunerado e o não remunerado. Trata-se de garantir políticas para que as mulheres realmente se apropriem dos benefícios das novas tecnologias, especialmente da informação", assinala Bárcena, que também destacou que essa conferência contribuirá para o processo de Beijing+20 e sua vinculação com a agenda global de desenvolvimento sustentável pós-2015.

Em sua intervenção, Phumzile Mlambo-Ngcuka, Diretora-Executiva da ONU Mulheres afirmou que o acesso às TICs é indispensável, já que essas estimulam a renda, a independência e a autoestima das mulheres.

"A Vice-presidenta da República Dominicana disse-me que acredita que o ‘novo Bill Gates' virá de seu país e que será uma mulher, e eu estou de acordo", afirmou a Diretora da ONU Mulheres ao ressaltar o papel da região no debate sobre o papel das TICs na luta contra a pobreza e a desigualdade.

Carissa Etienne, Diretora da Organização Pan-Americana da Saúde, aconselhou os participantes na Conferência a levantarem a voz em nome de todas as pessoas que não têm voz em seus países e a promover o compromisso político e as alianças públicas e privadas para garantir que "juntos asseguremos que a revolução das TICs colabore no avanço dos direitos da mulher e da igualdade de gênero, incluindo os direitos à saúde".

Eleonora Menicucci, Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Brasil, destacou a oportunidade que oferece a conferência para analisar tanto os avanços como os enormes desafios que ainda enfrentam os países da América Latina e do Caribe em matéria de igualdade de gênero.

Segundo a Ministra, os acordos alcançados na Primeira Reunião da Conferência Regional sobre População e Desenvolvimento da América Latina e do Caribe, organizada pela CEPAL em agosto em Montevidéu, podem orientar o trabalho dos países na República Dominicana, além do processo global de definição de uma nova agenda de desenvolvimento pós-2015.

Por sua parte, a Ministra da Mulher da República Dominicana, Alejandrina Guzmán, detallhou algumas das políticas e ações que os governos colocaram em andamento, em cumprimento às recomendações surgidas nas conferências regionais anteriores sobre a mulher.

Entre elas, o reconhecimento do trabalho não remunerado, a aplicação de pesquisas de uso do tempo em diferentes países, as políticas vinculadas à economia do cuidado e o posicionamento da paridade de gênero e sua incorporação nas reformas legais. Também mencionou a criação do Observatório da Igualdade de Gênero da América Latina e do Caribe, coordenado pela CEPAL.

"As mulheres querem ações e não somente palavras", disse Magaly Pineda, representante das organizações da sociedade civil, que falou ao término da inauguração. "Não queremos velhas hierarquias com novas tecnologias", enfatizou a ativista, propondo oito pontos para garantir a democratização da infraestrutura e da tecnologia, assim como o acesso pleno de todas as mulheres.

Na República Dominicana espera-se assinar o Consenso de Santo Domingo, documento que orientará as políticas de igualdade de gênero dos países da região durante os próximos anos.

 

 

Acompanhe a transmissão ao vivo da Conferência pelo site da CEPAL.

Mais informações em: ://www.cepal.cl/12conferenciamujer/default.asp?idioma=PR

Para consultas e marcação de entrevistas, entrar em contato com o Setor de Informação Pública e Serviços Web da CEPAL.

E-mail: prensa@cepal.org; telefone: (56 2) 2210 2040.

No Brasil, entrar em contato com: Pulcheria Graziani - E-mail: pulcheria.graziani@cepal.org - telefones: (61) 3321-7540 ou (61) 9976-8030

Siga-nos no: Twitter, Facebook, Flickr e YouTube