Você está aqui

Disponível em:EspañolPortuguês

CEPAL propõe mudanças estruturais para sustentar avanços sociais alcançados na Região

Secretário Executivo Adjunto da CEPAL, Antonio Prado, participou na 2ª Conferência sobre o Desenvolvimento no Brasil.

25 de novembro de 2011|Comunicado de imprensa

45142-AntonioPrado-250.jpg

Antonio Prado, Secretario Ejecutivo Adjunto de la CEPAL.
Antonio Prado, Secretario Ejecutivo Adjunto de la CEPAL.
Foto: Carlos Vera/CEPAL

(25 de novembro de 2011) A igualdade e a transformação estrutural devem ser os eixos do desenvolvimento, afirmou hoje no Brasil, Antonio Prado, Secretário Executivo Adjunto da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Antonio Prado fez uma exposição sobre os desafios do desenvolvimento econômico e social na região na 2ª Conferência sobre o Desenvolvimento (CODE), organizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) à qual participaram  mais de 1.000 especialistas e autoridades de todo o país.

Em sua apresentação, o alto funcionário das Nações Unidas descreveu as principais características da crise econômica que afeta o mundo desde 2008 e seus efeitos na América Latina e no Caribe.

Destacou que a crise representa um ponto de inflexão, já que rompe um modelo de duas décadas de concentração de riqueza. "Esta inflexão modifica a agenda de desenvolvimento, que deveria ter sua base conceitual na sustentabilidade e coloca a igualdade no centro", declarou.

Considerou que, apesar dos seus avanços nos últimos anos, a região ainda tem brechas produtivas e sociais por fechar, segue tendo a pior distribuição de renda do mundo, uma crescente heterogeneidade produtiva, baixo nível de investimento e economia, segmentação do mercado de trabalho e da proteção social, discriminação racial, étnica e de gênero e vulnerabilidade à mudança climática.

"Sem hipotecar o aprendido, devemos transitar de uma macroeconomia para a estabilidade, a outra macroeconomia para o desenvolvimento e aproveitar a conjuntura ainda favorável", afirmou.

Explicou que em uma macroeconomia para o desenvolvimento os eixos devem estar situados na igualdade e na transformação estrutural.  O entorno macroeconômico não só afeta a dinâmica do ciclo, mas também a trajetória e a qualidade do crescimento, devido a sua influência sobre a taxa de investimento, a produtividade, a dinâmica das exportações, a inovação, e o comportamento do mercado de trabalho.

"As políticas macroeconômicas devem contribuir para a igualdade social e para um dinamismo econômico que transforme a estrutura produtiva. Ambos os objetivos não são excludentes", concluiu.

O Secretário Executivo Adjunto da CEPAL fez sua apresentação em um painel intitulado "Os Rumos da América Latina", moderado por Marco Cintra, Coordenador Geral da Diretoria de Estudos e Relações Econômicas e Políticas Internacionais do IPEA , no qual participaram o Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães, Alto Representante-Geral do MERCOSUL e Moira Paz Estensoro, Diretora-representante da Corporação Andina de Fomento (CAF) no Brasil.

Para consultas, contatar a Unidade de Informação Pública e Serviços Web da CEPAL. E-mail: dpisantiago@cepal.org ; telefone: (56 2) 210 2040.

No Brasil entrar em contato com: Pulcheria Graziani - E-mail: pulcheria.graziani@cepal.org. Telefones: (61) 3321-3232 ou (61) 3321-5494. Celular: (61) 9976-8030

Síga-nos no: Twitter, Facebook, Flickr e YouTube.

 

Contato

Assinatura

Receba as novidades da CEPAL por e-mail

Assine